.

.

.

.

sábado, 25 de abril de 2009

Reality Show


Bom, para quem nunca ouviu falar, eu explico.

Trata-se de um reality show.

O apresentador do reality é o empresário Roberto Justus.

Ele é o único patrão que te demite sem sequer ter te contratado.

No programa, os participantes disputam uma vaga de emprego em uma das empresas do Justus e ainda levam um prêmio de 1 milhão de reais.

Toda semana esses participantes realizam tarefas. Quem se sair mal, vai para a sala de reuniões conversar com o Roberto Justus que demitirá uma dessas pessoas, ou seja, a pessoa será eliminada do programa.

Até que eu gosto desse programa, que por sinal, é o único programa da Record que eu assisto, rs.
Mas o programa tem ótimos índices de audiência.

Eu só não me simpatizo muito é com o apresentador, acho ele um tanto antipático. (Se alguém aqui for fã do Justus, pode me xingar depois, rsrsrs).
.

Eu comecei a assistir "O Aprendiz" quando eu trabalhava no call-center.
O meu supervisor disse para a gente assistir o programa porque era muito bom, nós aprenderíamos muitas coisas e o programa nos ajudaria em muitas ocasiões e problemas referentes ao trabalho.

E eu nem imaginava que tempos depois, vários chefes, Brasil à fora, iriam incorporar o próprio Robertos Justus neles, rs.

Eu acho que "O Aprendiz" antes de ser uma seleção de emprego, é um programa de televisão, onde só é visada a audiência, portanto, nem tudo nesse programa é tão correto assim (na minha opinião).

Como por exemplo, todos sabemos que um chefe não pode dizer que o trabalho de seu funcionário é péssimo, pois isso é uma falta de respeito com o trabalho dos outros, que pode não ter agradado ao chefe, mas é o trabalho que ele fez e merece ser respeitado. E no entanto, o Justus já disse várias vezes aos participantes que o desempenho deles em determinada tarefa foi péssimo, foi isso, foi aquilo. Isso na vida real, pode até desmotivar o funcionário.
Outra coisa é que o Justus fica corrigindo gramáticamente as pessoas publicamente, na vida real isso seria um constrangimento para qualquer um.
.

E eu acho um absurdo o Roberto Justus exigir que ninguém o interrompa enquanto ele estiver falando, sendo que ele mesmo interrompe todo mundo. Eu acho que ele deveria dar o exemplo.
E "K" entre nós, dá uma raiva quando o Justus fala: Não interrompa o meu raciocínio! rsrsrs.
.

Á seguir, um vídeo com um episódio do programa, exatamente na parte em que os participantes que se deram mal nas tarefas estão na sala de reuniões dando explicações ao Justus, tentando convencê-lo à não os demitirem.


Primeiro o Justus ficou criando caso com a moça só porque ela disse que não se achava melhor do que ninguém. Mas no final, demitiu o rapaz só porque o rapaz não escreveu o nome "Justus" corretamente. O rapaz escreveu Justos, com a letra 'o' e o correto é com a letra 'u'.

Mas aonde foram arranjar esse nome? Nem eu sabia escrever, rsrs.

Depois que eu assisti o vídeo eu tive que corrigir o meu post inteirinho porque eu estava escrevendo Justos, em vez de Justus, rsrsrs.

Agora, perguntem se eu sei escrever o nome do meu chefe!

Sei nada.

A lição que eu tirei é que se você quer se manter no mercado de trabalho, aprenda a escrever o nome do teu chefe, do contrário você será demitido.
É brincadeira gente, rs!

Embora o Justus tenha realmente se incomodado com a moça quando ela disse que não se achava melhor que o rapaz e tenha reclamado com o rapaz pelo fato de ele ter escrevido "Justus" incorretamente, ele permaneceu com a moça no programa e demitiu o rapaz por outros motivos, muito mais sérios, que ele mesmo expôs nessa reunião. Está tudo no vídeo.

O Justus falou para o rapaz que "uma infelicidade dessas ele nunca tinha tido antes". Igualzinha a minha ex-chefe que eu contei no post anterior que disse que "nunca tinha tido uma decepção tão grande quanto ela estava tendo naquele momento".

Ela é mais uma que foi contaminada pela Síndrome de Roberto Justus ou Justus Mania. Decepção teve eu, com aquela empresa bagunçada.

E hoje em dia, um monte de gente fica imitando o Roberto Justus. Sabe aquela frase que diz que a vida imita a arte. Realmente essa frase faz sentido.

Nas reuniões com o chefe, eles estão cada vez mais indelicados, ficam dando "showzinhos" em vez de reunião.

Vocês já perceberam que a tendência desses reality show, é mostrar o que normalmente é feito em particular?

A avaliação que um selecionador faz sobre o candidato, ele guarda para ele, não fica dizendo que avaliou que esse candidato é um incompetente, é preguiçoso, é fofoqueiro. O selecionador simplesmente dispensa o candidato, dizendo que entrará em cantato quando tomar sua decisão.

E no reality, eles mostram tudo o que acontece mesmo, o que os chefes falam sobre os funcionários, etc.

Então, não tem porque a vida real ficar imitando tudo o que vê na televisão.

Eu acho que os líderes devem estudar mais, se especializar mais, ler mais, em vez de ficarem assistindo televisão.


Em "O Aprendiz" os participantes concorrem há um super emprego e a 1 milhão de reias. Portanto, vale a pena passar por tudo isso. Mas na vida real, ninguém está concorrendo a 1 milhão de reias, passar por todo esse estresse e ser avaliado dessa maneira, para um emprego "comum" vamos dizer assim; me desculpe querido chefe, mas eu não estou passando fome. Ainda não, rsrs.

Se ninguém é perfeito, a liderança de ninguém é perfeita, nem a liderança e a avaliação do Justus é perfeita, pois ele é um ser humano como qualquer outro.

E mesmo que ele diga que o programa dele não é um jogo, ainda assim eu acho que as pessoas não devem seguir tudo o que assistem na TV.

E o próprio Roberto Justus diz em entrevistas que nas empresas dele, ele não age da mesma maneira que ele age no programa.

Não sei se é verdade, mas dizem que no "O Aprendiz" dos Estados Unidos, eles falam até palavrões. Viu como não se pode pôr em prática tudo o que se vê na televisão! Existem milhares de maneiras de se avaliar um candidato. As pessoas precisam diferenciar "programas de televisão" e "vida real".

Mas continuo gostando de "O Aprendiz" vejo esse programa como um jogo, como um programa de entretenimento e no meu outro blog, o Menina Empreendedora, eu postarei um episódio em que o Justus fala sobre ética e fala sobre o Brasil. Eu amei!


Eu já vi profissionais de televisão falarem que na TV tudo é marketing, absolutamente tudo. E é mais ou menos sobre isso que eu falarei no meu próximo post. Não é EXATAMENTE sobre isso, é mais ou menos sobre isso, rs.

Próximo post: Tudo é Marketing.

BeijinhoImage Hosted by ImageShack.us