.

.

.

.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Invisibilidade

A Mônique Lobo do Blog Conversa [A]fiada e a Sofih do Blog Happy XD me passaram o selinho Olha que Blog Maneiro.





Regras:


1- Exibir a imagem do selo “Olha Que Blog Maneiro”.
2- Postar o link do blog que te indicou.
3- Indicar 10 blogs de sua preferência.
4- Avisar os seus indicados.
5- Publicar as regras.
6- Conferir se os blogs indicados repassaram o selo e as regras.
7- Envie sua foto ou de um(a) amigo(a) para o e-mail: olhaquemaneiro@gmail.com juntamente com os 10 links dos blogs indicados para verificação.Caso os blogs tenham repassado o selo e as regras corretamente, dentro de alguns dias você receberá 1 caricatura em P&B.
.


Só vale se todas as regras acima forem seguidas.
.


Novamente minha amiga Mônique Lobo do Blog Conversa [A]fiada me passou alguns selinhos, que são estes a seguir:





A minha amiga Sofih do Blog Happy XD também me presenteou com mais 3 selinhos:
.


Este selo "Esse blog me deixa Happy XD" foi ela própria quem fez, e eu achei esse selinho a cara dela por causa da cor amarela que representa a alegria e o coelhinho sorrindo, a Sofih é uma menina muito alegre.
.




Este selinho lindo, lindo, lindo quem me passou foi a minha amiga Marinilce do Blog Caminho e Santidade.



E estes dois selinhos quem me presenteou foi a minha amiga Martinha do Blog Mar de Desabafos.

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Meninas! Se eu esqueci de postar algum selinho ou meme, podem puxar minha orelha que no próximo post eu coloco, ta bom?
.
Invisibilidade
.
Há muito tempo atrás eu recebi um e-mail falando sobre um psicólogo que se vestiu de gari e varreu ruas da Universidade de São Paulo (USP). Ele fez isso para concluir sua tese de mestrado sobre 'Invisibilidade Pública'.
.
A tese dele era que as pessoas só olhavam a nossa função e não nos olhavam como pessoa. Ele concluiu que, em geral, as pessoas, enxergam apenas a função social do outro, quem não
está bem posicionado profissionalmente, vira mera sombra social.
Ele disse que fingiu ser gari por 8 anos e viveu como um ser invisível.
.

Vejam só um trechinho desse e-mail:
O psicólogo sentiu na pele o que é ser tratado como um objeto e não como um ser humano. 'Professores que me abraçavam nos corredores da USP passavam por mim, não me reconheciam por causa do uniforme. Às vezes, esbarravam no meu ombro e, sem ao menos pedir desculpas, seguiam me ignorando, como se tivessem encostado em um poste, ou em um orelhão', diz.
.

Esse e-mail me lembrou um texto que circula pela na internet sobre um violinista famoso que tocou violino no metrô durante algumas horas e ninguém parou para apreciar sua apresentação ou para jogar moedas.
.

Porém, uma apresentação desse violinista custa caríssimo, mas o contexto de sua apresentação (no meio de um metrô) fez as pessoas acharem que ele era um pobre coitado, um "Zé Ninguém".
Isso mostra que de um modo geral, a sociedade nos dá valor de acordo com a nossa posição.
.

Você conhece algum gari?
Você cumprimenta com bom dia/ tarde/ noite os faxineiros da empresa em que você trabalha?
Você sabe o nome deles?
Ou você também age como se eles fossem invisíveis?
Você só dá valor para quem tem faculdade?
.
Eu sempre cumprimentei o pessoal da limpeza em todos os lugares que trabalhei. Até porque eu já fui garçonete e também percebia um pouquinho de orgulho e arrogância por parte de alguns clientes, por isso eu sempre fiz questão de tratar todo mundo igual. Mas também não estou dizendo que sou amiga íntima de todos os lixeiros da minha rua, rsrs. Eu estou longe de ser uma pessoa perfeita, mas procuro melhorar a cada dia.
.
Próximo post: A Fama na Infância.
.

BeijinhoImage Hosted by ImageShack.us

30 comentários:

Mary disse...

Olá, tudo bem! Antes quero te dar os parabéns pelos presentinhos, são lindos! Costumo cumprimentar todos os colaboradores daqui do prédio onde moro, são pessoas que merecem nossa atenção, gente humilde, educadas.
Bjs

Anderson Emídio disse...

Olá Juliana.

Infelizmente nossa soiciedade é assim,as posições sociais são mais importantes doque qualquer coisa.
Grande parte as pessoas são intereceiras e estão sempre em busca de receber algo,nunca passa pela cabeça transferir e compartilhar aquilo que tem.Diante disto aqueles que tem "menos" a oferecer são ignorados.
A verdadeira essência da vida não está no ter mais no ser.

Beijos

Deisy disse...

esses selinhos são muitoo legais =)

adorei o texto...

Bjss

Bertonie disse...

Agora imagina só se essas pessoas que por serem garis, faxineiros, garçons, etc nao existissem, hein?!
As ruas repletas de lixo, falta de higiene, quem iria entragar nossa comida nas lanchonetes e restaurantes da vida?!
Temos que começar a valorizar as pessoas, não por classes sociais, status, escolaridade, educação, etc. É como o homem disse na novela (Caminho das Índias, global, eu sei, me chicoteiem): "Existe um Deus dentro de cada um de nós. Se nós ignorarmos o próximo, estaremos ignorando a Deus. Se maltratarmos o próximo, estaremos maltratando a Deus. Se xingarmos o próximo, estaremos xingando a Deus". Essa foi uma frase que me fez refletir muito. A gente fica fazendo vista grossa pra quem toca violão, violino ou qualquer coisa na rua porque pensamos que quem faz isso é pobre, miserável.
Esse mundo Capitalista é muito, muito, muito cruel. Não quero dizer que o Brasil e outras repúblicas deveriam ser socialista, até porque o socialismo em si, é utópico, praticamente impossível de se acontecer. Mas se a gente melhorasse, fossemos uma pessoa melhor, apreciassemos o Deus que há em cada um de nós, o mundo seria outro, e aí estaríamos bem.

beigos mil e já tô prevendo a maravilha do próximo post, rs

Rafa disse...

eu li o texto do psicologo tb e infelizmente essa é a realidade do nosso país, não vou dizer que eu dou oi, bom dia ou algo do tipo para um mais procuro não julgar as pessoas pelo que elas vestem ou pelo que trabalham mais sim pelo que são, nosso mundo infelizmente ta uma bagunça precisando que alguém grite para tudooooo vamos mudar! mais infelizmente isso não é possivel e temos que conviver com coisas assim e ir mudando nossas proprias atitudes para depois tentar mudar a visão dos outros...

BarbieGirl disse...

Infelizmente muitas pessoas agem assim, somos divididos em classes, no que temos, no que somos e as vezes não damos valor a quem sempre está perto, cuidando de nossa sala, para estar sempre limpa e cheirosa, trabalho digno...
mas é triste a realidade!

Deixo aqui minha profunda tristeza sobre esse assunto...
beijos da barbie!

Sementinha de Francisco e Clara disse...

Oi Juliana!
Que bom que gostou do selinho. Foi de coração.
Qto a Invisibilidade, isso é sério, verdadeiro, acontece mesmo e mto!!!
Já vi umas reportagens sobre isso tb.
No meu caso, qdo comecei a trabalhar neste Órgão que estou agora, a ocupar um cargo que de nome chama um pouco atenção, mas que para mim não quer dizer nada...fiz questão de ir vestida de forma simples, calça jeans, blusinha comum, sandalia....não sabiam quem eu era e perguntaram se eu era estagiária num tom de " mais uma!"
Qdo eu disse que não e me identifiquei, a pessoa mudou logo o jeito de falar comigo. Abaixou até os olhos. Palhaçada!!!
Depois, de propósito, fiz uma experiência: comecei ir trab. de terninho, bem social....
Quem não me conhecia, me abordava de maneira exemplar, com certa curiosidade, do tipo "parece ser alguma coisa".
Aí que mora o perigo né, Jú!
Pensarem que somos alguma coisa e não que somos alguém, não no sentido do ter, ma do ser, sermos filhos de Deus, iguais.
Agora que descobri como são e já viram como sou...continuo com minha calça jeans e meus all stars. Só qdo é preciso, vou social. Cumprimento e trato todo mundo, desde o pessoal da limpeza até o pessoal que "pensa" que tá no topo, da mesma forma, nem mais nem menos.
Mas sinto que os sentimentos reais e verdadeiros vem mais dos pequeninos, dos simples, que tb me acham simples e já me disseram isso.
E fiquei feliz e pretendo continuar sendo assim.
Afinal, o que somos?
Somos o que somos aos olhos de Deus, NADA mais!
Costumo fazer essa oraçãozinha:
"Senhor, quem sois Vós e quem sou eu?
Vós, o Altíssimo Senhor de céu e da terra. E eu, um miserável vermezinho, vosso ínfimo servo."
Desculpe o tamanho do com. querida.
Mas quem manda, vc escrever essas coisas que nos empolgam?rsrs

Fica na Paz....Beijokas!

Vera disse...

Bom dia Jú!!!
Esses seres invisíveisfazem parte de um contexto em que, se fossem retirados, todo mundo veria o quanto eles são nescessários!!!
Cresci ouvindo de meu pai que um bom dia, boa tarde, boa noite, muito obrigado e por favor, devem ser usados com todos, desde o faxineiro até o presidente de qualquer empresa, já que todos são iguais, só o que muda é a função deles no contexto social.
Eu faço questão de saber o nome de todos os funcionários do prédio onde moro e sinto até que, muitas vezes, eles se surpreendem de perceber que prá mim, o serviço deles é essencial e reconhecido,e isso,cada vez mais, não é regra e muito mais, exceção. Vi essa reportagem do violinista e creditei muito mais ao corre-corre de cidade grande o fato de ele sequer ser reconhecido. Acho que padecemos do "olhar sem ver", muitas vezes por conta de uma nescessidade de cumprir tarefas que,em muitas vezes, 24 horas é pouco para cumprí-las...hehehe
Mas em relação a prestadores de serviço, acho o fim quem acha que não precisa sequer saber o nome e cumprimentar.Ahhh... também não sei o nome do lixeiro Jú...hehehe
Parabéns de novo pelo post!
Beijinhos!

Gerly disse...

Sei bem como é isso!

Como bolsista numa Universidade particular de prestígio tenho muitos exemplos dessa invisibilidade.

Sem contar os motoristas e cobradores de ônibus, os ascensoristas, que não recebem um cumprimento, um sorriso, um agradecimento pq todos acham que "ah, é obrigação deles".

E não é assim que funciona pra quem tem o mínimo de educação.

Beijokas!

:o)

Paula disse...

oi ju
é uma pena que a sociedade nos veja pelo que temos nao pelo que somos...é engraçado, pq se vc está com a "capa" bomita, por isso entenda, roupa boa, perfume importado, cabelo bem feito, tds notam...se vc está de cara lavada, vc é simplesmente mais um no meio da multidao...
tantos talentos desprezados pelo fto de que nao se "é" algo de presença...
nao vai muito, qdo nos arrumamos para uma festa, basta um vestido tchans, uma maquiagem bem feita, e pornto, tds dizem "nossa nem te reconheci"!!!!
e assim vao se talentos desperdiçados...tantos inumeros...
vi uma moça tocando piano na stação daluz, ela inda era negra...acho que o povo pensava: coitada, faz isso pra nao morrer de fome!lindas musicas, linda postura, linda tecnica...quem sabe nao é um dos talentos escondidos, e as pessoas nao valorizam...
uma pena!vivemos num mundo injusto demais!

bjao

Karolina disse...

oi Ju!
nossa adorei esse post! as pessoas se tornam cada vez mais invisíveis quando não possuem uma posição que exija respeito. A que ponto chegamos!

*tenho um selo (beaufiful Blogger)pra vc no meu último post.

abraço/tchau

Paula disse...

ju,fof´s
tem selinho la pra vc...passa no blog
bjao

Sofih disse...

Isso é verdade. Parece que só dão "bom dia" pra quem pode trazer algum benefício.
No meu colégio, comprimento, sou educada e às vezes até amiga das faxineiras e porteiros e tal. Acho isso legal, porque todo cargo tem uma função, todos são importantes! E sei também que antes da gente se formar e tal, vamos ter os mais diversos empregos, como garçonete ou vendedora de loja,e com certeza todo mundo gosta de ser respeitado.
Uma ves vi um programa na TV que colocaram um famoso varrendo um shopping. A maioria passou como se fosse alguém "insignificante"
Beijooos
ps: é eu sou alegre! =D

Dany disse...

é, infelizmente é assim que acontece mesmo!
Outro dia mesmo eu vi um programa onde um ator se vestia primeiro de mendigo e depois de um cidadão comum e bem vestido. Nas duas ocasiões ele fingia passar mal e na maioria dos casos, as pessoas socorriam-no quando ele tava bem vestido, poucas foram as pessoas que o ajudaram como mendigo...
Uma triste realidade desse nosso país!
Bjos

✰тєcα✰ disse...

Olha onde eu trabalhei eu fazia questão de cumprimentar as tiazinhas da cozinha e os peão,mas não dava um oi para engenheiro da firma (que era um filho da puta e só olhava para o próprio nariz) e juro que me sentia ótima por isso ;D

Beijão Juh amei o assunto do post, beijão!

janaina de almeida disse...

Juliana, parabéns pelo selinhos pois você merece.
Lembro desse caso do spicólogo se passar por gari sim.
E respondendo à sua pergunta, eu falo principalmente com gari, serventes, porteiro,jardineiro, pois são essas pessoas que pegam no pezado e facilitam (e muito) a nossa vida.
Conheço funcionários da Comlurb e digo Bom dia,sempre faço isso.
Um abraço, paz e bem, beijos.

Marcos Vichi disse...

Olá Juliana!

Eu vi uma reportagem na TV, com o autor deste artigo. Foi quando me dei conta de que muitas vezes eu agia desta forma.

A partir daí, desenvolvi o hábito de cumprimentar os faxineiros e seguranças do meu condominio, assim como o jornaleiro e o ascensorista, quando os encontrava.

Fiz algumas boas amizades por conta disso, mas qual não foi a minha surpresa, ao perceber que alguns destes funcionarios ficavam incomodados e até fingiam não me ver, quando eu passava.

Precisamos mesmo prestar atenção nas pessoas, porque ao descobrir a humanidade delas, nos humanizaremos cada vez mais.

Gostei do seu comentário lá no meu blog. Muito obrigado!

Beijos,

--
Marcos Vichi
www.coeletturismo.com.br
http://compartilhandopalavras.blogspot.com
http://viagenseexperiencias.blogspot.com

Claudinha disse...

Olá! Vim agradecer sua visita. Fiz um trabalho na universidade sobre o assunto de teu post e recomendo a todos leremo livro: "Homens Invisíveis – Relatos de uma Humilhação Social" de Fernando Braga da Costa. Ou então dar uma passadinha no site responsabilidadesocial.com, onde tem uma entrevista com o autor. O assunto é super interessante e nos convida a reflexão. Um abraço virtual.

Brunette disse...

Olá!
De um modo geral, eu também acho que as pessoas ligam muito à posição social dos outros... infelizmente, deixam-se levar pelo que as aparências mostram e não pelo que a pessoa vale.
Eu ensino numa escola grande, tem muitos professores, pessoal administrativo e empregadas de limpeza. Eu cumprimento todos por igual, mas já reparei que há empregadas que se desviam ou que baixam o olhar quando algum professor vai a passar. Mesmo que baixem o olhar, eu cumprimento-as sempre, o trabalho delas é imprescindível para o bem-estar de todos na escola! Numa altura, tive um aluno que, arrogantemente, foi chamar a empregada do corredor para limpar o sumo que ele próprio virou. Não tolerei a forma como aquele menino pré-adolescente se dirigiu à senhora, em voz de comando: "Vá limpar aquilo!" Por acaso eu estava a passar no corredor e, mal ouvi isto, chamei-o de imediato à atenção pela falta de educação. Ele, que não estava à espera que eu tivesse assistido a esta triste cena, respondeu-me quase a gaguejar: "Mas, professora, em minha casa são as empregadas que limpam o que sujo! É a sua obrigação". Aí eu expliquei-lhe que era obrigação de toda a gente ser bem-educado, independentemente da posição social ou do cargo que cada um ocupa...
Bjos e bom final de semana.

P.S. Tenho no meu blog um desafio para vc!

mendogas disse...

oi Jú
Amiga obrigada pelo teu pensamento sobre nós pescadores.
Nós somos um pouco ou talvez muito invisiveis aos olhos de bastantes pessoas.
Mas as pessoas até vão todos os domingos á missa
beijar e comprimentar seus irmãos dentro da igreja mas quando de lá saiem transformam-se logo em outras pessoas!
Eu acho que o mundo é como um puzlle temos de encaixar cada peça em seu lugar não achas?
Já imaginaste um mundo só de gente rica?
Ou só de doutores
Ou até mesmo só de pescadores?
onde e a quem eu venderia o meu peixe??

adoro o teu blog amiga

beijão

Rodolfo disse...

Oi Ju

Que espaço lindo este seu
Obrigado pela sua visita
Prometo que vou publicar mais
Estarei mais atento à comunidade web
Meu desejo é que você brilhe
Intensamente ...
Um abraço
Rodolfo

Mary disse...

amiga primeiro parabéns pelos selos, vc merece todos!!!!

adorei teu texto, já vi este texto do psicólogo que trabalhou como gari, achei ótimo.. assim como vc estou longe de ser prefeita, mas sempre tentei não julgas as pessoas pelo diploma que tem.. cumprimento todos, sem me importar com o emprego ou classe econômica, no final das contas ñ é isso q faz a pessoa né??

bjoks mil amiga e ótimo domingo..

Karkr Napon disse...

Olá Juliana!
Obrigado pelo comentário, amei ^^ saudades da Sonia Abrão com o "Direto do México", hehehe.
Amei seu post sobre invisibilidade. Infelizmente esse tipo de preconcetio ainda existe e muito, as pessoas realmente olham para a posição que você ocupa, nas próprias lojas são assim. Quando entramos a procura de um produto vestido de roupas simples, bermuda, chinelo, camisa e tal os vendedores nem lhe olham, agora se você chegar engravatado... Chove gente querendo te atender. Fazer o que se as pessoas vem seu próximo como um objeto? Enquanto existe pessoas que são tratadas como animais, uma escória da sociedade, há aqueles que idolatram uma pessoa como se ela fosse deus, dois extremos terríveis muito visíveis nos dias de hoje =/ Todos somos iguais, por isso devemos tratar com respeito a todos, sem distinções ;)
BJonas Brothers e Deus abençoe
xD

SAULO PRADO disse...

Ola; parabéns pelo seu blog, seu texto sobre invisibilidade é muito relevante, pois, acredito que somos invisíveis para nós mesmo, mais o que fazemos questão de não enxergar são os nossos preconceitos, e defeitos; por isto, textos como este são importante para que possamos ficar mais atentos, afinal somos seres em evolução, e a evolução principal não é a tecnológica e sim a moral.
Pois, é a única que conta para Deus.
Um abraço; e se me permite, passarei a acompanha o seu blog, pois, me identifiquei com ele.

Wiklich disse...

\Oi/
Mto belo seu texto.
Eu vi uma matéria parecida no Fantástico.É despreziveluma atitude dessas.Infelizmente é isso que acontece todos os dias.Por exemplo,
Graciliamos Ramos na obra Vidas Secas,no capítulo que descreve um "passeio" da família conta que a família se veste com a melhor roupa e vão a festa no centro da cidadezinha.Ninguém os notam,pela pobreza.Na hora que o Fabiano personagem central vai se aproximar da sociedade,em um jogo de cartas,ele é usado;perde o jogo e o seu dinheiro e ainda desacata a autoridade.A autoridade é bruta com ele.O trata com desrespeito.A seca transforma a pessoa em bicho sim,mas as pessoas nem as notam,e tão pouco ligam para sua situação social.O pior de tudo isso,da invisibilidade,é o que a pessoa que é tratada assim,deve se sentir.O desprezo é a coisa mais fétida do mundo.
Adorei seu blog.
Beijinhos*.*

Patrique Lima disse...

Ola Juliana,

Estou passando por aqui para retribuir a visita, achei muito bom seu blog, com conteudos interessantes! Parabens, quanto ao seu post, é tipo da nossa sociedade capitalista, que exacerba o individualismo e a competição. Assim só nos contentamos com que está pelo menos no "mesmo nivel" do que pensamos ser! é trsite mas é verdade!

Abraço, sempre passarei por aki!

Simples assim... disse...

Ótimo texto, Ju...

Pena que as pessoas são tão hipócritas que se comovem ao lerem um texto como o seu mas saem nas ruas e simplesmente esquecem.....o caso é q os valores não estão invertidos, eles simplesmente não existem mais.....

Fernando disse...

Uma realidade triste!
Você é o que você tem...
Uma vergonha!
O lado humano está sendo deixado de lado.

Ótimo texto!
Gostaria que, por gentileza, comentasse esse texto, Juliana. http://www.conectou.com/2009/02/blog-blogo-globo.html

Beijos,

Fernando disse...

Ótimo texto, Juliana!
Adoro lê-los, viu!?

Infelizmente, o que você discorreu no texto é a pura realidade, mesmo.
Muito triste!
O lado humano está, dia após dia, sendo deixado de escanteio.
O ter é muito mais do que o ser.

Gostaria que, por gentileza, comentasse esse texto http://www.conectou.com/2009/02/blog-blogo-globo.html

Beijos,

Eva disse...

Oie, adorei tua visita ao meu blog! O teu tá mto lindo! Abraço!