.

.

.

.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

O Incompetente cheio de Competência

Eu ganhei 3 selinhos. O selo Melhores de 2008 eu ganhei do Márcio Ribeiro e do Felipe. O selo Prêmio Dardos eu ganhei também do Felipe. E o selo Esse blog fala com o Coração eu ganhei da Tay.

O Incompetente cheio de Competência
Existe uma diferença entre ter competências e ser competente. Quando procuramos emprego, cada vaga pode exigir dos candidatos determinadas competências, por exemplo: a vaga exige curso superior, curso de informática, digitação, inglês, pode exigir também um certo tempo de experiência na função, entre tantas outras competências.
Provávelmente algum candidato terá todas essas competências. Mas, isso não é garantia de que ele seja competente pois, já que o atual mercado de trabalho está exigindo cada vez mais que os funcionários sejam capacitados, as pessoas se enchem de cursos e especializações para conseguirem a vaga, afinal, o mercado está cada vez mais disputado.
Realmente, as chances de se conseguir um emprego são maiores para quem tiver o maior número de competências. Porém, só se mantém no mercado quem for competente.
Embora a mentalidade das pessoas esteja mudando, a maioria ainda escolhe uma profissão pensando em qual área é mais fácil de conseguir trabalho ou qual área é mais rentável.
Essas pessoas não se preocupam em exercer sua real vocação. Então, elas arranjam o emprego da sua área de formação (não na sua vocação) mas, não desempenham seus trabalhos com a eficácia e entusiasmo que as empresas querem. Esse funcionário não trabalha no que gosta, não exerce sua vocação e por isso, mesmo com um longo currículo cheio de cursos extra-curriculares, ou seja, cheio de competências, ele não é competente para essa função, ele não nasceu para isso, ele não gosta. Ele é o incompetente cheio de competências.
Vou dar um exemplo: Uma pessoa pode não ter curso de digitação e digitar maravilhosamente bem. Isso acontece porque ela tem talento para isso, ela é competente para isso. Mas, a falta de um diploma em curso de digitação pode fazê-la perder a vaga para outro candidato. Ela não tem a competência que a empresa pede mas, é uma profissional competente, só falta o curso (rs).
É mais ou menos assim: Um tem talento mas, não tem curso. O outro tem curso mas, não tem talento (rsrs).
E antes que alguém diga: "se certa pessoa não fosse competente ela não conseguiria concluir o curso".
Claro que conseguiria. Eu tenho curso de informática mas, longe de mim trabalhar com isso, não gosto, minha vocação não é essa, eu sinto que não sou competente para trabalhar com informática e se eu trabalhasse nessa área com certeza meu desempenho não seria bom porque quando a gente trabalha no que não gostamos, o trabalho se torna sacrificante, fica aquela coisa chata e conseqüêntemente nosso desempenho vai por água à baixo.
É o que eu falei, existem pessoas que têm competência para a função, trabalham nessa função mas, não são competentes. É diferente ter competência e ser competente. Podem dizer também que muitos incompetentes se mantém no mercado de trabalho sim. Lógico que existem incompetentes no mercado de trabalho mas, não por competência dele e sim por pilantragem, puxa-saquismo, etc. Mas, excluindo esse tipo de funcionário e avaliando os funcionários por competência, só se mantém no mercado que for competente sim.
E antes que alguém diga que o termo correto não é esse, eu digo que é esse sim, eu sei o que estou falando, eu pesquiso antes de postar qualquer coisa, ao contrário de certas pessoas que comentam aqui no meu blog (não todas, lógico rs). O termo correto são estes mesmos "competente e competência".
Então, mais do que termos milhares de competências, vamos ser competentes.

Beijinhos
Image Hosted by ImageShack.us

27 comentários:

Márcio Ribeiro disse...

Que excelente texto Juliana! Concordo em tudo com você, a vocação nos torna competentes. Quando trabalhamos em uma area a qual nos identificamos e gostamos, o trabalho flui naturalmente e torna-se prazeroso, diferentemente, de quando trabalhamos em algo que não gostamos.

Porém, com o aumento de mão-de-obra em determinadas areas, pessoas que tem vocação para certos segmentos, migram para outras areas em busca de melhores salários, mas esquecendo de que seu trabalho poderá não render tanto, pelo simples fato de o exercerem apenas pelo retorno financeiro e não por vocação.

bjs Juliana,
www.comideiaseideais.blogspot.com

Gerly disse...

Falou e disse!
Eu adorei o título da postagem, o texto tbm, claro!

Bjoka!

P.S. Eu tenho muitas competências, mas não me sinto competente qdo não faço as coisas com todo meu coração e vontade.

THYMBERTHY KKALL LLEE disse...

Oi Juliana. Tudo bem?
Sabe, eu sonho que estou voando quase que toda semana.É a sensação mais gostosa que existe. pena que não dura muito. mas é muito bem.
Gostei de seu blog, é diferente dos que tenho visto. E muito legal também.
Abração para vc
Thymonthy Becker

www.thymberthy.blogspot.com

' Sofih! disse...

Concordo. A pessoa tem milhões de cursos, só que não sabe fazer nada! O que adianta? Nada. Aí, é por isso que tá tudo cada vez pior. Os empresários só olham no papel, não na prática, aí dá tudo errado. Uma coisa puxa a outra!
Bjss

Thiago... disse...

Juliana!! adorei o título xD

Heey, eu to mudando de blog... dá pra passar lá? Beijos

- Linkei voce de novo :D

Anderson Emídio disse...

Olá Juliana.

O foco de grande parte das pessoas hoje em dia é retorno financeiro,infelizmente muitos associam sucesso a dinheiro e status e isto os leva a perder o rumo de suas vidas investindo em coisas que não condizem com suas habilidades.
Ninguém consegue sucesso fora do seu propósito de vida,pode até ganhar dinheiro mais sempre será um profissional medíocre.Condena a própria vida a frustração como você bem disse:"Quando trabalhamos em algo que não gostamos,isto acaba se tornando sacrificante".
Parabéns pela postagem,sei que vai despertar muita gente.
"O homem que trabalha somente pelo que recebe, não merece ser pago pelo que faz." Abraham Lincoln

Beijos

Gustavo Giudicelli disse...

Eh isso ae!
E viva quem sonha e luta por trabalhar de acordo com sua vocação e seu coracao :p

bjos

Ana Karina disse...

É. Realmente o mercado de trabalho é muito disputado. As competências que adquirimos nos coloca à frente de muitos. Estou no ramo de finanças, sem curso superior, trabalhando à quatro anos em uma empresa. Tenho vários cursinhos e me considero competente porque gosto do que faço. Por isso concordo com seu texto. É difícil ser competente sem afinidade com o trabalho que estamos executando. Afora, eu me sentiria melhor dançando, rs... seria mais competente ainda. Pena, é tarde, mas tomei outro rumo na vida.

Parabéns pelo texto. Estou adorando seu blog. Até mais!!!

Ryan disse...

Bom, evidentemente ser competente e exercer a competência é de fato para aquelas pessoas que possuem um "que" de determinação. Hoje em dia, infelizmente, a maioria das pessoas estão em uma posição de comodismo e não enxergam a real situação! Um exemplo claro e real disso sou eu mesmo. Quando entrei em um curso superior, (Direito no meu caso) eu levei em conta a minha oratória e algumas outras caracteristicas não tão suficientes para determinar um curso dessa magnitude. Mas era garoto, tinha apenas 16 anos de idade. Ainda estou cursando, mas descobri que tenho vocação para ser pisicólogo! Estou inscrito em vários vestibulares e se passar é claro que abandonarei o direito. Como descobri essa vocação? Adoraria falar, mas isso tornaria o meu comentário um verdadeiro post! Em suma, gostei do seu blog.
Parabéns!


www.mininudiallstar.blogspot.com

Felipe disse...

MP7, muito locao hein...xD agora tem cada novidade né!?

--
HAuuhaa, de fato, montagem mesmo! E se viu!? Jogada publicitária..."/

--
Matar o lindemberg...Realmente, muita gente!

--
Amigos assim, já pensou?! Eu hein...Tô fora...xD

--
Pior que mesmo na brincadeira, é assim mesmo que eles funcionam. "/
Eita! POLÍTICA!

--
Parabéns pelos selinhos...xD

Tayz disse...

Concordo absurdosss.Eu acho que qualquer um pode trabalhar no que se gosta e não é preciso determinação, é preciso competência.

bejokas;

Eliane disse...

Na área educacional chamamos de competências e habilidades.A competência é o exercicio eficiente da área de atuação com o refeirido diploma e habilidades é o que a pessoa faz bem sem nenhum tipo de formação.Um exemplo bem singelo : um aluno não tem competência para a área cognitiva,mas tem as habilidades necessárias para a dança , pintura ou canto.E a partir daí,o educador faz uma avaliação global desse aluno.Não é bom pra uma coisa e bom pra outras.Parabéns pela bela postagem.
Beijinhos

marianatorres disse...

Boa noitee! Adorei o comentário, realmente ser apaixonada assim por uma pessoa é terrivel não é? Mas fazer o que né? A vida nos prega cada coisa... Mas sempre que quiser passar la pode passar! Obrigada! Beijos!

marianatorres disse...

Boa noitee! Adorei o comentário, realmente ser apaixonada assim por uma pessoa é terrivel não é? Mas fazer o que né? A vida nos prega cada coisa... Mas sempre que quiser passar la pode passar! Obrigada! Beijos!

αиα.·* disse...

Certamente, nem sempre ter o diploma é sinal de ki a pessoa é realmente capacitada a fazer algo.

Afinal, fazemos muito melhor qnd fazemos com o ♥, nos empenhando!

ana.-*

http://amuuh.blogspot.com

janaina de almeida disse...

Juliana,
voc~e está cobertíssima de razão sim, e sei muito bem o que é isso.
Um exemplo, na minha época de faculade.Sou formada em Arquitetura e Urbanismo pela UFRJ, infelizmente entrei numa época que os estudantes ainda estavam na prancheta mas começavam e usar o computador, que em 1995 era uma novidade ainda.
Pois bem.Você acredita que boa parte usou isso como um paradigam, ou seja, só seria bom aruiteto quem usasse computador.Quem não usasse ou não tivesse condições, babau, pode isso?
Há várias situações que poderia escrever aqui para você.
Teve uma certa vez que resolvera fazer uam exposição dos trabalhos para depois cirticar.Teve um trabalho(que não foi o meu),que essa minha colega se achava só porque desenhava bem, mexia no computador, tá bom.
Sabe o que o professor falou naépoca, Juliana?Falou assim mesmo:
"-O trabalho está bem desenhado ,mas não tem projeto."
Depois dessa, sem palavras, não é?
Concluindo:em minha faculdade há bons desenhistas, cadista, maquetistas mas ARQUITETOS de verade, é difícil...
Um forte abraço e tudo de bom, beijos.

caurosa disse...

Olá Juliana Pires, nós professores vivemos trabalhando e avaliando as habilidades e competências alheias, e às vezes nos esquecemos de avaliar e melhorar as nossas. Tudo o que se faz e se produz com competência dá bons frutos e o resultado é ótimo. Um pouco de amor e paixão também ajuda.Parabéns pelo texto. Paz e harmonia para você.

Forte abraço.

CAUROSA - caurosa.wordpress.com

Tony Madureira disse...

Olá,

Este texto está espectacular!

Competência = profissionalismo.
Subscrevo inteiramente.


Bom fim de semana.

BLOG DA PAULINHA disse...

Juliana,

Olá! não sei se posso te chamar assim...

é minha estréia, sim. Meu maridão, GRANDE BLOGUEIRO, me deu de "presente", hahaha... acho que para eu deixá-lo em paz... mas gostei! porém me pegou de surpresa e ainda não defini o assunto.
Estou tendo algumas idéias, ... o único problema meu é que sou acelerada e não curto ficar muito tempo parada....
vamos ver no que vai dar....

abraços e obrigada pela sua delicadeza!

Dany disse...

é aquela coisa: quantidade não é qualidade... vc pode ter milhões de cursos e não saber nada, bem como ter apenas um e ser bem mais competente!
Bjs

Vanessa disse...

Huhu, é isso aew...
Competência não é pra qualquer um...
Tem que possuir competência e ser competente para se dar bem hoje em dia!

Quanto a mim, sou competente no que faço, ou pelo menos tento, competência? Estou adquirindo aos poucos, de acordo com o meu modo de ser competente e com a facul!
Hahaha...
Que confusióoon!
Mas é isso aew!

Beijos

Karkr Napon disse...

Olá Juliana!
Amei seu comentário,realmente só fica velho quem quer,hehehe ;)
Amei seu post, parabpens pelos prêmios, mais do que merecido \o/
Realmente há uma grande diferença entre competência e competente, amei a maneira como você tratou do assunto e exemplificou para melhor entendimento dos leitores. Sem dúvida... "mais do que termos milhares de competências, vamos ser competentes".
BJonas e até
xD

Alessandro Luiz disse...

Olá Juliana!
Meu nome é Alessandro e sou jornalista.Falou tudo nesse texto, esse é um assunto muito complexo que mesmo ser discutido.Mas essas diferenças que vc citou no texto,pode ter fator a mais,como a falta de cultura de se preparar as pessoas melhor para o mercado...coisa que o estado deveria se encarregar de fazer e não faz...
Gostei de seu blog,posso adiciona-la?

Um beijo
Alessandro
http://revistanotamusical.blogspot.com/

Cadinho RoCo disse...

No mercado de trabalho o que mais tem é gente incompetente e a razão fundamental está mais que exposta nesta publicação. E para apimentar mais, no Brasil o trabalho é sistematicamente desvalorizado, o que então contribui para que pessoas competentes se tornem incompetentes por terem a auto-estima literalmente destruída, violentada, desrespeitada e anulada. Não há competência que resista a isso.
Cadinho RoCo

Oscar Menezes disse...

Nessas, eu acabei conhecendo muito supervisor sem nenhum perfil de liderança (mas que se formou em um ótimo curso de administração), como também já perdi vaga em processo interno na empresa pra outra pessoa que não era competente (e que após ser promovida, acabou por perder o emprego). Bj.

Nina Fernandes disse...

Uma coisa eu concordo plenamente: devemos fazer o que gostameos.
Só somos realmente copetentes quando fazermos o que gostamos, o que sentimos prazer.

PAZ disse...

oBRIGADA POR SUA VISITA E COMENTÁRIO, SEU BLOG TA MUITO LEGAL,TODAS AS PESSOAS SÃO CAPAZES, NAO DEVEMOS SAIR POR AI JULGANDO, MAS SIM TENTANDO ENTENDER E COMPREENDER COMO SAO OS OUTROS, AJUDANDO E NAO ATRAPALHANDO, SOU CONTRA TODO TIPO DE DISCRIMINAÇÃO, QUERO SER SUA AMIGA, ABRAÇO... ME EXPLICA COMO VOCE CONSEGUE COLOCAR ENQUETES NO BLOG E OUTRAS COISINHAS. LUZZI.ANNA@HOTMAIL.COM sE QUISER ME ADD NO MSN, POR MIM TUDO BEM, TUDO DE BOM AMIGA, DIVULGUE MEUS BLOGS TA, TENHO TRES, E ORKUT TAMBEM LUZIANA BRANDAO MARTINS, BOA SEMANA...